Na frequência do amor

By
Na frequência do amor


Histórias de amor não escolhem classe social e nem lugar, mesmo em tempos de conexão virtual, o rádio segue unindo corações apaixonados.

Por Fernanda Nardo.


O amor é um sentimento humano profundo e complexo, é também, uma ferramenta poderosa de transformação pessoal e social. Como já exprimiu tão bem o poeta Luís Vaz de Camões, o amor traz essa ambiguidade de sentimentos e sensações, como o “fogo que arde sem se ver, a ferida que dói e não se sente, o querer estar preso por vontade”. O romantismo nunca sai de moda, e no rádio sempre teve seu espaço, isso porque nas ondas sonoras são contadas histórias reais, de vida, laços, encontros e desencontros, que embalam os corações apaixonados e solitários.

Mesmo com a facilidade dos aplicativos, o amor no rádio continua sendo uma alternativa que une casais até hoje, é o que conta a radialista da Rádio Mais AM 1120, de São José dos Pinhais, Curitiba e Região Metropolitana, Carolina Chab. “O programa Namoro no Rádio começou em 2008, e segue firme até hoje. Chegamos a ter a participação de cerca de 200 pessoas em cada edição, elas mandam mensagens falando que procuram alguém, ou apenas dizendo que ao ouvir o programa sabem que não são as únicas solitárias no mundo, isso é reconfortante. Nós até já recebemos convites de casamentos de pessoas que se conheceram no programa”, diz.

O Namoro no Rádio acontece todos os domingos das 12h às 18h. A programação conta com uma mistura de cartas, mensagens e telefonemas de pessoas que procuram um relacionamento, com música romântica embalada pela voz do locutor que dá todo o charme ao programa. Nas mensagens os ouvintes explicam como são e as características das pessoas que procuram para se relacionar. “Percebemos que o nosso público é de pessoas que não utilizam as redes sociais ou aplicativos para encontrar alguém, são pessoas com mais de 35 anos e de diferentes classes sociais”, explica.

A costureira Marli Terezinha Eurich, 63 anos, dividiu sua felicidade depois de encontrar um amor por intermédio do programa. Ela conta que adora dançar, mas devido à pandemia não podia ir aos bailes. Em um domingo, ela estava aproveitando para adiantar algumas encomendas, enquanto escutava o Namoro no Rádio.

“Eu não costumava interagir no programa, apenas ficava ouvindo. Mas quando estava quase no fim, decidi ligar para anunciar a venda da minha casa. Aproveitei a oportunidade e comentei que estava querendo fazer novas amizades, descrevi que procurava alguém divertido, parceiro e que gostasse de dançar”, diz.

Isso aconteceu no dia 28 de março deste ano, ela comenta que não estava esperando o contato de alguém sério, até receber a ligação de um gaúcho, chamado Idelcio Luíz de Oliveira, que a fez rir com seu jeito divertido. Eles marcaram um encontro e estão juntos há três meses.

“Já estava há 3 anos procurando um amor, rezei pra Santo Antônio suplicando por um namoro. Mas não esperava que seria surpreendida. Estou vivendo uma fase maravilhosa e sendo muito feliz. Já estamos morando juntos há 20 dias. Só quero aconselhar que não devemos nunca desistir do amor”.

Tradição no rádio

Todas as noites, de domingo à sexta-feira, das 22h às 00h, o amor está no ar na rádio Caiobá FM de Curitiba. Embalando os corações apaixonados há 30 anos, o programa Love Songs segue levando à audiência grandes sucessos da música romântica, mensagens e recados dos ouvintes. Nestas décadas no ar, o programa contou com grandes nomes do rádio, e atualmente é apresentado por Natan do Valle. 

De acordo com o coordenador da rádio Caiobá, Márcio Silva, essa combinação de músicas que trazem aquele misto de saudade e relembram grandes momentos, com a interação dos ouvintes, é uma receita de sucesso, mesmo nos tempos atuais. Isso porque o romantismo e boas histórias de amor, nunca saem de moda.

“O Love Songs é o programa romântico mais tradicional de Curitiba. Há muitos anos ele está no ar pelo clima que oferece e pela participação efetiva do ouvinte. A intenção é que as pessoas possam ouvir músicas juntas, relembrar dos grandes sucessos, mandar recados, fazer amizades, se relacionar e contar história. Hoje em dia, poucas rádios oferecem esse tipo de produto”, diz.  

Segundo o coordenador, o programa continua com o mesmo formato desde sua criação, inclusive, promoções voltadas ao perfil dos ouvintes que acompanham o Love Songs.

“Fazemos também muitas promoções como vale motel, jantares, e outras coisas que conversem com o programa. Apesar da mudança de público que ouve rádio durante a noite, a audiência do Love Songs é muito boa, está sempre brigando pelos primeiros lugares, é um programa bem competitivo”, afirma.

O post Na frequência do amor apareceu primeiro em AERP.



Link da fonte